14/jul/18Calendário 16/jul/18


Kefalonia - 15/jul/18 (80 fotos)Mais fotos:ÁlbumSlide show

Entrada da baía externa - KefaloniaNo mesmo horário de ontem saí logo cedo do hotel para tentar uma longa caminhada por algumas praias novas do lado sul de Kefalonia. Tinha a impressão de que esta era a área mais turística da ilha, com vários balneários se dedicando aos pacotes de visitantes. Em trinta minutos cheguei no ponto a partir do qual retornei na visita do primeiroPracinha em Svronata - Kefalonia dia, reparando que todas as praias deste flanco demoram bastante para receber os primeiros raios do sol, que têm que superar o morro próximo. Pelo itinerário proposto seguiria diretamente para o destino final definido na praia do Mosteiro de Sission (leia síssio) a aproximadamente 20 km do hotel e de lá retornaria entrando nos acessos parAtracadouro no caminho para a praia de Ammes - Kefaloniaa as diversas enseadas. Apesar dessa intenção, o percurso pelo interior estava muito chato e comecei a fazer desvios para tornar o passeio mais interessante. Primeiro parei na praia de Ammes (leia ámes), na cabeceira do aeroporto e em seguida fui para Ai Helis (leia ái rrélis). A terceira entrada foi na praia de Avithos (leia avítos) e a vPraia de Ai Helis - Kefaloniaizinha Lygia (leia ligiá), na qual não cheguei porque tinha que atravessar uma região de pedras sobre o mar. Todas com distância de aproximadamente dois quilômetros entre si. O desvio foi mais longo do que supunha e comeu duas horas do meu precioso tempo. Fiquei com medo de arriscar o trajeto pelos inúmeros traçados pontilhados do mapa elePraia Lygia - Kefaloniatrônico e achei melhor fazer uma grande volta para continuar pela rodovia principal. Inconformado por não ter atravessado as pedras para a praia de Lygia, segui algumas dobradas e consegui acesso a um platô de onde podia ter uma vista parcial do alto, que incluia também as areias de Avithos. De volta à parte tediosa da estrada pelo interioKourkoumelata - Kefaloniar, e depois de subir bastante, no simpático povoado montanhoso de Kourkoumelata (leia curcomeláta), passei pelo monumento a Lord Byron, o poeta romântico inglês que lutou ao lado dos gregos contra o domínio turco na guerra de independência. Na descida para as praias mais distantes encontrei um cemitério micênico usado no século XII a.C. e Lord Byron - Kefaloniao Castelo de São Jorge. Estava em grande dúvida quanto a continuar o passeio porque havia muito caminho e pouco tempo pela frente. Resolvi tentar a descida até a praia mais próxima de onde estava e ver o que acontecia. Em todo o percurso desde a necrópole arcaica vinha pensando na viabilidade do meu intento. Finalmente às 14:30 h, não tendCastelo de São Jorge - Kefaloniao me aproximado muito do mar e não notando sinal de ladeira descendente, percebi que não seria possível chegar no destino previsto tão cedo e decidi dar meia-volta, já que calculava que teria que caminhar pelo menos mais três horas para retornar para Argostoli. Como estava num cruzamento e para não repetir o trajeto, virei a esquina para pCemitério  micênico - Kefaloniaegar outra rodovia de volta para a capital. Imaginava que talvez a altura fosse um pouco maior mas encarei o fato como penitência por não ter cumprido o compromisso. Isso só foi verdadeiro brevemente no início. Depois de poucos quilômetros o trajeto foi todo com inclinação favorável. Atravessei a pacata vila de Karavados e cheguei na estraMonte Ainos - Kefaloniada principal, bem mais movimentada e barulhenta do que as anteriores. Passei pela base da colina sobre a qual foram erigidos o povoado de Kastro e o Castelo de São Jorge, mas nem a curiosidade por conhecer seus construtores e sua história me deu coragem de subir a distância de um quilômetro e meio e o desnível de 150 metros. Começou então Igreja Evangelistria - Kefaloniao trecho mais aborrecido do passeio. Mesmo não precisando de muito esforço, a estrada não oferecia nenhum motivo para contemplação. Os seis quilômetros até a entrada na cidade demoraram para passar e por vezes o vento simplesmente desaparecia. Nos últimos quilômetros a estrada até ganhou uma pista extra, mesmo que a intensidade do trafego Marginal da baía interna - Argostoli, Kefalonianão justificasse tanta sofisticação. Surgiu então uma surpresa agradável na forma do parque criado nas margens da baía interna. Lendo as informações disponíveis fiquei sabendo que esse fundo de golfo é chamado de lagoa, sendo praticamente isolado do resto do espelho aquático pela ponte ligando as duas margens construída em 1812 para os ingPonte De Bosset através da baía interna - Argostoli, Kefalonialeses pelo arquiteto suíço De Bosset. Essa área fechada serve de viveiro para algumas tartarugas marinhas que nadavam placidamente enquanto eu completava o trajeto. Não cheguei a atravessar completamente a estrutura, indo apenas até a metade, onde foi erguido um obelisco. O dia terminou às 17:30 h com a subida da ladeira íngreme do hotel.