05/jul/18Calendário 07/jul/18


Patras - 06/jul/18 (48 fotos)Mais fotos:ÁlbumSlide show

Terminal marítimo - PatrasA internet é, de fato, muito boa, no entanto a autorização com senha requer um processo meio complicado e ainda não percebi quando a sequência tem que ser refeita. Parece que a seção tem duração determinada, ao final da qual a identificação deve ser reconfirmada. Saí do quarto às 9:00 h para o primeiro compromisso do dia. Após pedir informações na recepção e numa agência de viagens cheguei ao quiosque da companhia de navegação a poucos metros do hotel para imprimir o cartão de embarque da balsa para a ilha de Kefalonia. Descobri que a saída seria do terminal marítimo, como suspeitava, contudo a emissão do impresso foi mais conveniente no local para onde me mandaram. Fiquei sabendo de um ônibus de trMarina - Patrasansferência gratuito que sai uma hora antes da travessia, se não quisesse andar os 200 metros carregado. A avenida do porto perto da estação de trem continua tão inóspita quanto das vezes anteriores e é difícil andar por uma região de movimento sem calçada e com os trilhos passando pelo meio. Após a estação das barcas as condições melhoraram e pude começar a caminhada planejada com relativa tranquilidade. Desde ontem ao atravessar a ponte que chega na cidade havia identificado os restos de uma fortaleza veneziana na entrada do Golfo de Corinto como possível destino despretensioso de um percurso à beira-mar. Aos poucos fui desvendando formas de seguir a costa mas não consegui evitar um pequeno desvio Praia na entrada do Golfo de Corinto - Patraspor um atalho de terra mais afastado do mar em determinado trecho. Outras seções tive que percorrer pelas areias ou pedras das diversas praias que atravessei. Quase sob a famosa ponte fica a fortaleza, construída rapidamente pelos turcos em 1499 para defender sua conquista. Posteriormente ela foi tomada pelos venezianos, entre outros, que erigiram novos elementos segundo a arquitetura militar dos séculos subsequentes. Os funcionários na bilheteria devem ter levado um susto quando eu falei que queria comprar um ingresso. Não parece que seja uma das atrações mais visitadas da cidade. As praias do entorno, ao contrário, estavam com bastante público. Também na viagem de ontem percebi uma calçada de pedesParque na entrada do Golfo de Corinto - Patrastres ao longo da ponte e não era uma ideia absurda que eu tentasse ver o Golfo de Corinto do alto. No entanto, quando saí do forte e notei a escada que dava acesso reparei na porta de vidro que impedia a passagem. Além disso a via dos andarilhos era cruzada por fitas policiais que desaconselhavam a ultrapassagem. Não deve ser de todo proibido porque vi uma pessoa andando por lá ontem e hoje um atleta fazia sua corrida pelo mesmo trajeto. Todavia, sem querer me meter em confusão, achei mais conveniente continuar pelo percurso mais tradicional. Não pretendia refazer o caminho totalmente litorâneo e analisei a possibilidade apresentada pelo mapa eletrônico de algumas ruas internas até chegar perto do caPonte na entrada do Golfo de Corinto - Patraslçadão do centro. Só que o sol estava bom demais e precisei fazer uma escala de duas horas num espaço mais isolado e forrado de pedras. Às 16:30 h e a contragosto juntei as coisas para a última hora e meia de caminhada. Dessa vez me restringi às vias pavimentadas e cheguei no hotel carregado de compras do supermercado. Lembrei de perguntar para a Maria se ela não havia sentido um tremor de madrugada e, realmente houve um pequeno terremoto. Eu estava começando a cair no sono à 1:00 h da manhã quando senti o prédio balançar. Mesmo sendo de baixa intensidade o episódio foi meio assustador. Fiquei decepcionado ao entrar no quarto e ver que a geladeira continuava no mesmo estado. Além disso não haviam remFortaleza veneziana - Patrasovido a cama extra que impedia o uso da mesa. A recepcionista anunciou que os funcionários estavam ocupados e provavelmente não tinham tido tempo de retirar o móvel inútil e até sugeriu que eu armazenasse os produtos mais essenciais na cozinha. Contudo, pior do que internet fora do quarto é geladeira comunitária. Ela também tentou encontrar outro quarto e disse que não achou. Se eu quisesse armar um escândalo poderia ter conseguido a mudança, porém ia dar ainda mais trabalho juntar tudo e levar para outro apartamento. O encarregado da manutenção apareceu com um aparelho roubado de outro hóspede e só com muita perseverança e inúmeras tentativas conseguiu com que o novo refrigerador desse sinal de vida.